Resenha: As Filhas da Noiva - Susan Mallery

29 junho 2018


Courtney Watson é a irmã desajustada da família. Ela pode não ter uma vida tão organizada quanto a das irmãs, mas ela é excelente em uma coisa: guardar segredos. Inclusive sobre seu caso flamejante com um produtor musical.
Planejar o casamento da própria mãe traz sua vida secreta à tona, mudando completamente a imagem que sua família tinha de Courtney para sempre. Quando o namorado de Siena, a irmã rebelde, a pede em casamento bem na frente de sua mãe e suas irmãs, é uma completa surpresa para ela. Siena já passou por dois noivados fracassados e desfeitos. Como ela pode aceitar se ela nem tem certeza que é isso que ela ainda quer?
Rachel é a cínica da família. Ela acreditava que o amor duraria para sempre. Até o seu divórcio. Enquanto o dia do casamento de sua mãe se aproxima, seu ex passa a implorar por uma segunda chance, e ela é forçada a reconhecer algumas verdades incômodas sobre os motivos pelos quais seu casamento não deu certo. Rachel precisa decidir se ela vai deixar o orgulho ficar no caminho do seu felizes para sempre.
Edição: 1
Editora: Harlequin Brasil
ISBN: 8539826003
Ano: 2018
Páginas: 352


Oiee, a resenha de hoje é de um livro que eu A-M-E-I fazer a leitura, As Filhas da Noiva é um chick-lit que assim a primeira vista você imagina se tratar de apenas mais uma leitura comum, mas se vê surpreendido por um livro que vai muito além de um mero "romance de mulherzinha" e se trata sim de uma obra completa que vai além de uma simples história de amor entre um casal e nos mostra a história de amor entre várias mulheres. Três filhas e uma mãe, para ser mais sincera e esse enredo é maravilhoso.

Pra começo de resenha, sugiro que vocês esqueçam essa sinopse, não creio que ela se encaixe bem nos adjetivos atribuídos para cada uma das irmãs. Chamar a Rachel de cínica foi até de mal gosto. Vou deixar a minha versão dessa família para vocês:

Courtney é a irmã mais nova, ela é mais retraída e de certo modo a mais injustiçada das irmãs. Foi a que mais sofreu com a negligência da mãe, enquanto essa buscava melhorar a situação financeira da família. Foi criada basicamente por Rachel, sofreu durante a infância com um déficit de aprendizado que só foi diagnosticado aos 10 anos o que a fez repetir dois anos escolares e acabar se destacando em meio a turma devido a sua altura. Algo que a fez sofrer bullying e se afastar um pouco da família. 
Anos depois é uma mulher bem resolvida e a caminho da realização profissional, conseguiu se formar e já atua na sua área de graduação no hotel onde trabalha, mas para a sua família ela é apenas uma camareira, pois optou por não contar seus feitos antes de estar com o seu diploma em mãos. Isso a faz envolver-se em atritos com a irmã do meio Siena e a mãe. Dos tempos de bullying da adolescência ela ainda carrega o fato de ser desastrada e a insegurança, em relação a sua altura e aparência. Porém Quinn, um cara mais velho, surge em sua vida e o Courtney acha que seria só um caso de verão, tem tudo para transforma-se em algo mais, mas é justamente essa insegurança que pode ser uma pedra no seu caminho.

Siena é a irmã do meio, a bonita da família. A que menos sofreu com as mudanças que ocorreram após a morte do pai, pois ela é extremamente adaptável. Seus traumas de infância são os mais egoístas, ela sofreu com respingos do bullying que Courtney sofreu, mas nunca fez nada para ajudar a irmã e ainda a culpou por isso. Até após adulta carrega isso consigo e persegue sempre a irmã a acusando como se ela fosse uma incapaz. O que acaba sendo um paradoxo, pois Siena é das irmãs a que tem a profissão mais altruísta, ela trabalha em uma ONG que ajuda mulheres em situação de vulnerabilidade, que sofrem com violência doméstica, a fugirem dos seus agressores. Paralelamente Siena se vê presa a um noivado, praticamente por coação, e um fato interessante voltado a ela na história é o de nos mostrar que até mesmo as mulheres mais desconstruídas, que trabalham com mulheres que sofrem agressão podem não perceber quando estão envolvidas num relacionamento abusivo e são manipuladas por seus parceiros. Siena é uma personagem que amadurece a olhos vistos nessa história.

Rachel é a irmã mais velha, a que praticamente não teve infância. Após a morte do pai, foi incumbida do cuidado das irmãs pela mãe, acaba se culpando pelo atraso no disgnóstico do problema de Courtney. Devido a isso amadureceu muito rápido para algumas, casou-se cedo, foi mãe cedo, e passou a não confiar na ajuda de outras pessoas, algo que influenciou bastante no fim do seu casamento. Após o divorcio tornou-se uma mulher independente que se divide entre os cuidados do filho e o trabalho, não reserva nenhum momento para si e se vê extremamente infeliz. E agora anos depois, ela e Greg, o ex-marido começam a reestreitar seus laços, mas para que haja perdão e as coisas possam dar certo, Rachel terá que perceber que precisa mudar e se livrar dos seus traumas do passado.

Maggie é a mãe, não é citada na sinopse, mas é uma personagem de grande importância para a compreensão das filhas. Ficou viúva cedo e desamparada, pois o marido, não deixou nada para ela e nem para as filhas. Teve de voltar a estudar e conseguiu alcançar o sucesso financeiro recuperando a sua empresa, mas nem após ter reconquistado a sua estabilidade ela parou de negligenciar as filhas, que cresceram praticamente apenas umas pelas outras. Agora está prestes a se casar novamente e acaba se vendo mais unida as filhas que estão ajudando na festa, principalmente Courtney que é a organizadora. Maggie representa o clássico caso de mãe narcisista que pensa apenas em si e no seu sofrimento, menosprezando o das filhas. Claramente subestima Courtney por achar que ela trabalhar numa profissão que considera de menor importância e nem quando tem os seus erros exibidos diante dos seus olhos ela admite a culpa, foi uma personagem que me incomodou bastante.

Logo de cara minha preferida das irmãs foi a Courtney, mas com o decorrer da leitura acabei me apegando a todas elas, até mesmo a Siena que foi meu primeiro ranço na história. A personagem que me incomodou bastante durante a leitura foi a Maggie e seu egoísmo extremo, porém perto do final do livro, ela se redime um pouco. Eu amei a maneira que a autora passeou entre os dramas familiares e o romance. 
Meu casal preferido foi a Courtney e o Quinn, ele é simplesmente o sonho de consumo de qualquer mulher, um homem maduro e centrado, dono de opiniões sensatas e que fica ao seu lado sempre que você precisa. ♥
Mas também gostei muito da Rachel e Greg até mesmo por me identificar mais com a trajetória da vida dessa personagem, foi legal a forma que a autora retratou que até mesmo um casal que já não é mais tão jovem, precisa amadurecer para fazer as coisas darem certo e que nunca é tarde demais pra isso. As pessoas erram, mas a vida é feita de segundas chances.
Da Siena eu gostei mais do trabalho, amei ver a dinâmica de uma ONG que ajuda mulheres vítimas de abuso, adorei ver isso num livro, pois além de ser um incentivo para as que sofrem com esse problema, buscarem ajuda, ainda esclarecem para as que vivem num relacionamento abusivo e ainda não perceberem, como é que isso acontece. A Susan inseriu na história ensinamentos primordiais sobre o assunto.

Essa foi o meu primeiro contato coma escrita da Susan Mallery e eu simplesmente amei, tudo, desde a narrativa até a construção dos personagens. A história é bem ambientada e bem dosada, a escrita é leve e faz com que a leitura flua extremamente rápida. A trama passeia nos fazendo refletir com assuntos sérios e mais densos e nos fazendo rir com momentos bastante engraçados. A parte erótica da obra não deixa a desejar, nos levando a momentos super excitantes, porém leves, com sensualidade na medida certa. Eu amei a leitura e é sem dúvida uma obra que eu recomendo. Já quero ler mais obras da Susan e aguardo ansiosamente por isso.

Espero que vocês tenham curtido a resenha, beijos ♥


17 comentários:

  1. Que capa mais fofa. Já me apaixonei.
    Sou meio fútil as vezes, é sou levada pela capa.
    Já quero ler. Conheço a escrita da autora e também curto.

    Beijos.

    www.alempaginas.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Kris tudo bem?
    que enredo de novela, hein? rs
    Adorei as fotos da sua resenha e fiquei curiosa para conhecer essa família tão complicada O.O

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem? Li uma opinião desse livro esses dias e fiquei bem curiosa para ler, a trama parece ser leve e ao mesmo tempo envolvente. Tua resenha só me deixou mais interessada na leitura!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  4. Olá
    Gostei muito da resenha, e não se preocupe pois nas resenhas não costumo ler a sinopse kkkkk, prefiro saber a opinião do leitor pois muitos livros a sinopse não tem nada a ver com a história.
    Quando vejo casos de mães assim me dá um ódio mortal, pois nunca faria isso com minha filha, e infelizmente sei como o diagnostico de qualquer coisa quando feito tarde prejudica, tenho uma filha autista que depois de um ano rodando de medico em medico que tive a ceteza, isso ela estava com 3 anos, o que já é tarde para diagnostico,
    Bom vou anotara a dica para ler mais futuramente.
    Bjus

    ResponderExcluir
  5. Desde a primeira resenha que li desse livro fiquei com vontade de lê-lo. O fato da autora passear entre os conflitos das personagens me interessa muito e a escrita leve e bem construída nos instiga a conhecer a obra, sem dúvida. Que bom saber que as cenas mais quentes foram bem feitas e na dose certa, pois eu adoro! Já está na Wishlist, só falta lê-lo.
    Beijos do Wes ^^

    ResponderExcluir
  6. Oi, Kris. Eu quero muito ler esse livro, acho a premissa dele bem interessante e me parece ser uma leitura totalmente envolvente. Gostei de ver o quanto a obra te agradou, fiquei ainda mais curiosa para ler. Ah, eu achei a capa linda, um amorzinho!

    ResponderExcluir
  7. Que bom que seu primeiro contato foi tão positivo! É ótimo quando temos mais um autor/a para chamar de nosso. Conheço o livro, mas não li ainda apesar do interesse.
    Bjs Rose

    ResponderExcluir
  8. Olá,
    Não conhecia muito do livro e achei legal ter o cotidiano de uma ONG nele, sempre fico interessada pelo dia a dia das diversas profissões que encontro nas histórias. A capa é super fofa!

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bem? Já li uma resenha desse livro, mas confesso que chick-lit dificilmente me ganha. Talvez o lesse para conhecer mais sobre as irmãs, especialmente a que trabalha na ONG em prol das mulheres. Mas, de forma geral, não é uma obra que chama a minha atenção, sabe? Que bom que conseguiu aproveitar o livro :)

    Love, Nina.
    www.ninaeuma.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Acho que li umas três resenhas desse livro essa semana, ou mais. Susan Mallery é um amorzinho e pretendo ler esse livro muito em breve!
    Bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bem? Gostei muito de ler a sua resenha, deu pra perceber que você amou a leitura e isso é muito maravilhoso haha apesar de não ser o tipo de livro que eu leria, acredito que seja uma otima dica para quem gosta de chicklit com tantos personagems e casais fofos!
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Olá Kris, essa é a segunda resenha que leio desse livro e já estou morrendo de vontade de lê-loe, pelos seus comentários a trama esta bem bacana e desenvolvida nos levando a refletir sobre bons temas *-* Além de ao mesmo tempo ser uma leitura divertida e fluida *-* Dica anotada.

    ResponderExcluir
  13. Olá, tudo bem? Eu li esse livro e me surpreendi positivamente pelo mesmo. Não esperava tanto de um chick-lit e assim como você, o devorei em pouco tempo. Adorei a sua resenha e que me fez relembrar a leitura <3
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Olha, a história já não chamou minha atenção porque romance realmente não é meu forte, mas o fato de eu achar que vou passar muita raiva com essa mãe e a presença da parte erótica, que não gosto mesmo, me fazem realmente não querer ler. Mas fico feliz que tenha amado!

    ResponderExcluir
  15. Oi Kris,
    Tenho lido muitos elogios para essa obra e, apesar de eu ter achado que ele era meio mamão com açúcar, as resenhas tiraram esse pré-conceito de mim, incluindo a sua. Eu gostei muito das personagens, elas parecem ser muito interessantes e acho que me identificaria com a Rachel, não por ter tido muita responsabilidade jovem, mas por ela ser completa, sei lá.
    Claro que vou anotar a dica e vou torcer para amar esse livro como você amou.
    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Oi Kris,
    Eu tinha a ideia que esse livro era mamão com açúcar, mas as resenhas que tenho lido, têm aberto meus olhos. Gostei muito da sua resenha e da construção dos personagens. Diferente de você. me identificaria com a Rachel, acho que o fato dela ser tão independente desde muito jovem me parece fazer olhar no espelho.
    Espero que esse livro se torne um queridinho pra mim também.
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Kris lindona amada, que capa linda desse livro! Amei e me solidarizei com Courtney e já quero pegar Siena pelos cabelos, que irmã sem noção e ainda adulta perturba a outra! E que incongruência trabalhar em uma ONG para mulheres e faz o que faz com a irmã, afff Ainda bem que a criatura vai amadurecer, né? E Rachel, sei bem o que é cuidar dos irmãos mais novos e esquecer de si. A mãe não vou nem comentar aqui, existem mães e MÃES neste mundo real e literário.
    Ainda não li nada da autora e com certeza lerei este livro que você me apresentou de forma tão impar.

    Bjão
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :|
:-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

Seja Bem-Vindo,
Interaja conosco, é um prazer poder saber a sua opinião.


Deixe seu link que retribuiremos a visita.
Não serão aceitos comentários ofensivos ou de span.

Volte sempre ♥